Atendimento de segunda a sexta das 7:30h às 11:30h e das 13:15h às 18:00h, aos sábados das 7:30 às 18:00

Produtos Antúrios 3000074   Nome científico: Anthurium Andraeanum
Nome popular: Antúrios
Família: Aráceas
Origem: América Central e do Sul
Porte: Altura de 90 cm
Características: Como toda planta tropical, necessita de temperaturas acima de 15º C e meia luz (não pode ficar no Sol direto). Deixar a terra do vaso sempre úmida e aerada, regando de 2 a 3 vezes por semana, sendo que uma delas pode ser feita por cima da planta. Transplantando, conforme o tamanho, o antúrio pode crescer até a altura de 90 cm.
Moreia Azul 3000073   Nome científico: Neomarica
Nome popular: Moreia Azul
Família: Iridácea
Origem: África do Sul
Porte: Aatinge uma altura média de 60 centímetr
Características: Bastante rústica e de fácil cultivo, não requer cuidados especiais. Desenvolve-se muito bem em qualquer tipo de solo. É tolerante ao frio, portanto pode ser cultivada em qualquer região do país. Plantar as mudas em local definitivo, regando moderadamente por alguns dias até que a planta firme-se no local do plantio.
Violeta de Cheiro 3000072   Nome científico: Violeta Odorata
Nome popular: Violeta de Cheiro
Família: Violaceae
Origem: Européia
Porte: 20cm de altura
Características: Planta muito fácil de ser cultivada, podendo crescer bela e saudável até mesmo dentro de casa. O vaso precisa ser mantido à sombra e a terra regada todos os dias, sem encharcar. Por ser uma planta perene, se bem cuidada, irá florescer por muitos anos e garantir flores com um delicioso perfume.
Calanchoê Pendente 3000071   Nome científico: Kalanchoe wendi
Nome popular: Calanchoê Pendente
Família: Crassulaceae
Porte: 30 cm de comprimento
Características: Por ser uma planta bem resistente pode ser cultivada tanto em jardins quanto em vasos e suporta bem o frio. Cultivar em solo apropriado, aconselhável um com boa densidade de nutrientes e poroso para evitar acumulo excessivo de água.
Camellia Theaceae 3000070   Nome científico: Camellia Theaceae
Nome popular: Camellia Theaceae
Família: Theaceae
Origem: Ásia
Porte: Árvore
Características: Uma flor de inverno. Esta espécie particular de Camellia prefere um tipo de solo ácido. No caso do solo argiloso é necessário para melhorar a estrutura do solo, a fim de torná-lo adequado para o plantio da camélia, para fazer isso você pode usar materiais orgânicos como turfa, folhas, estrume adubo e maduro.
Hortência 3000069   Nome científico: Hydrangea macrophylla
Nome popular: Hortência
Família: Hydrangeaceae
Origem: Japão e China.
Porte: Com até 2 - 3 m de altura
Características: A espécie é utilizada para a constituição de sebes e para criar contrastes em intervenções de paisagismo. A sua folhagem rica e de grande tamanho é um excelente fundo para realçar canteiros de flores brancas ou de cores claras, mesmo de espécies perenes ou anuais altas. Em climas quentes. macrophylla é utilizada para adicionar um toque de cor no início do verão em áreas com sombra, particularmente em jardins florestados. É recomendada um poda mínima para tornar a floração mais prolífica. As flores são facilmente secas ao ar e são duradouras, pelo que são utilizadas como flores secas em decoração de interiores.
Viburno 3000068   Nome científico: Viburnum Suspensum
Nome popular: Viburno
Família: Caprifoliaceae.
Origem: Japão.
Porte: Até 3 metros
Características: A maioria prefere sol pleno, mas também se ajusta à sombra parcial. Elas gostam de solo fértil em níveis moderados, com um PH entre 5,6 e 6,6. São populares por causa da baixa probabilidade de serem atacadas por pragas. Ao selecionar virbunos, escolha um espécime jovem, uma vez que podem ser difíceis para fazer o transplante quando envelhecem. O início da primavera é a melhor época para transferir a espécie de vaso. Necessário fornecer temporada completa para elas se ajustarem. Virbunos são membros comportados da família madressilva. Naturais em arbustos ou árvores. As formas podem exigir alguma poda para atingir a estética desejada.
Laurotino 3000067   Nome científico: Viburnum Tinus
Nome popular: Laurotino
Família: Adoxaceae
Origem: Europa
Porte: 2.4 a 3.0 metros.
Características: O laurotino (Brasil) ou folhado (Portugal) é um arbusto lenhoso e florífero, largamente utilizado no paisagismo. Seu caule é ereto, muito ramificado, e sua copa é arredondada. As folhas são perenes, coriáceas, brilhantes. O laurotino é uma arbusto muito versátil, que pode ser utilizado isolado, em pequenos grupos, e na formação de cercas-vivas formais ou informais, delimitando canteiros com muita elegância. Ainda pode ser conduzido como arvoreta, alcançando cerca de 2 a 3 metros de altura. Adapta-se a vasos e jardineiras também, principalmente as variedades anãs. Devem ser cultivado sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado a intervalos regulares, principalmente no primeiro ano após o plantio. O laurotino é muito rústico, e tolerante ao frio e à estiagem. Se for queimado por geadas, ele rebrotará na primavera.
Manacá-da-serra, Manacá-da-serra-anão 3000066   Nome científico: Tibouchina mutabilis
Nome popular: Manacá-da-serra, Manacá-da-serra-anão
Família: Melastomataceae
Origem: América do Sul, Brasil
Porte: 2.4 a 3.0 metros, 3.0 a 3.6 metros, 3.6 a 4.7 metros
Características: O manacá-da-serra é uma excelente opção para o paisagismo urbano, pois não apresenta raízes agressivas, permitindo seu plantio em diversos espaços, desde isolado em calçadas, até em pequenos bosques em grandes parques públicos. Seu crescimento é rápido e além da árvore, encontra-se disponível no mercado uma variedade anã, o manacá-da-serra-anão. Esta variedade, conhecida como ?Nana?, alcança de 2 a 3 m de altura e é mais precoce, iniciando a floração com menos de meio metro. Com seu porte arbustivo, ela é apropriada para o uso isolado ou em grupos e renques. Sua floração ocorre no inverno, ao contrário da forma arbórea típica. Também pode ser conduzida em vasos. O manacá deve ser cultivado sob sol pleno, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado periodicamente por pelo menos um ano após o plantio no local definitivo. Planta característica de clima tropical úmido, é tolerante ao clima ameno das regiões subtropicais.
Glicínia, Wistéria-chinesa, Wistéria-japonesa 3000065   Nome científico: Wisteria sp
Nome popular: Glicínia, Wistéria-chinesa, Wistéria-japonesa
Família: Fabaceae
Origem: Ásia, China, Japão
Porte: 4.7 a 6.0 metros, 6.0 a 9.0 metros, 9.0 a 12 metros
Características: A glicínia é uma trepadeira volúvel, lenhosa e decídua, de florescimento muito decorativo. As inflorescências são longas, pendulares e carregadas de numerosas flores azuis, róseas, brancas ou roxas. Seu crescimento é lento a moderado e pode levar anos para que se torne adulta e inicie o florescimento. É muito adequada para cobrir arcos, pérgulas, portões e caramanchões conferindo um ar romântico e nobre à paisagem. Por ser vigorosa não é indicada para estruturas de apoio frágeis. Também pode ser conduzida como arvoreta, que caracteriza-se por um tronco ondulado e uma copa aplainada. É comumente utilizada para o plantio em vasos e formação de bonsai. A época de florescimento varia de acordo com o clima e a região onde está estabelecida. Devem ser cultivadas sob pleno sol, em solo fértil, rico em matéria orgânica e com regas regulares. Necessita tutoramento, adubação e podas anuais. Aprecia o frio, sendo indicada para locais de clima subtropical ou mediterrâneo. Em regiões quentes pode ser cultivada sem problemas, mas não terá o mesmo desempenho.
Columeia Crespa 3000064   Nome científico: Alternanthera ficoidea.
Nome popular: Columeia Crespa
Família: Amaranthaceae
Origem: America tropical e Caribe
Porte: pendente em média de 40cm
Características: Columéia Crespa, as Columéias devem ser cultivadas a meia-sombra, em substrato para epífitas com terra vegetal, bem drenável, regada regularmente. Não tolera geadas.
Suzana dos Olhos Negros 3000063   Nome científico: Tumbergia Alata
Nome popular: Suzana dos Olhos Negros
Família: Acanthaceae
Origem: África, África do Sul
Porte: 1.8 a 2.4 metros
Características: Esta trepadeira, apesar de ser perene, pode ser utilizada como anual. É rústica e apresenta caule volúvel de crescimento rápido. Suas flores são amarelas, com o centro preto, muito ornamentais, porém há variedades de flores de coloração branca, rósea, vermelha, creme e laranja e uma variedade de flores completamente amarela.
Suas folhas são pecioladas sagitadas, com alguns recortes pouco profundos. No paisagismo, é bastante utilizada para cobrir rapidamente cercas, treliças e pergolados, assim como esconder estruturas e objetos indesejados.
Deve ser cultivada a pleno sol e não é muito exigente quanto ao solo, devendo ser fertilizada com fontes de fósforo e potássio para uma intensa floração. Tolera a salinidade e não tolera geadas. Não necessita tutoramento. Multiplica-se por sementes.
Estrela ou Flor de Lagarto 3000062   Nome científico: Stapelia Variegata
Nome popular: Estrela ou Flor de Lagarto
Família: Asclepiadáceas
Origem: África do Sul
Porte: 10 a 15cm
Características: Uma das plantas mais raras que eu tenho é uma estapélia que dá umas flores muito lindas.
Clerodendro Perfumado 3000061   Nome científico: Clerodendron fragrans
Nome popular: Clerodendro Perfumado
Família: Verbenáceas
Origem: China e Japão
Porte: 2m de altura
Características: O clerodendro-perfumado é um arbusto perene pouco ramificado, de textura semi-herbácea, possui folhas grandes e pecíolos longos, podendo alcançar até 2m de altura. As inflorescências são grandes, terminais, formadas por inúmeras flores branco-rosadas muito perfumadas.
Leucofilo, Folha-de-prata 3000060   Nome científico: Leucophyllum frutescens
Nome popular: Leucofilo, Folha-de-prata
Família: Scrophulariaceae
Origem: Estados Unidos e México
Porte: 1,50 a 2,50 metros de altura
Características: Seu cultivo deve ser em solos drenáveis, com pH levemente alcalino e irrigado de forma esparsa. É tolerável ao frio, à estiagem e à maresia. As plantas mais jovens devem ser regadas duas vezes por semana, já as estabelecidas devem ser irrigadas apenas semanalmente no tempo muito seco. Aprecia o calor. Não é necessário fertilizá-la, pois aprecia solos pobres. No entanto, a reaplicação de calcário anualmente favorece à planta. Não devem ser plantadas em locais encharcados, pois apodrece facilmente suas raízes. UTILIZAÇÃO: Como planta isolada, cercas-vivas e vasos. Vai bem em plantações a beira-mar.
Lírio-oriental 3000059   Nome científico: Lilium speciosum Thunb
Nome popular: Lírio-oriental
Família: Angiospermae, Família Iridaceae
Origem: Japão e China.
Porte: um metro
Características: O Lírio Oriental desenvolve se com facilidade em meio de boa luminosidade, contudo sem que esse meio esteja sob a incidência direta da luz solar e, de preferência, que a temperatura ambiente seja amena. Uma ótima vantagem dessa espécie é que você pode cultivá-la tanto em canteiros, como por exemplo ao redor de muros ou grades de casas, como também em vasos individuais. Para os dois modos de cultivo, recomenda se que a terra seja leve e porosa. Acrescente adubo animal de curral bastante curtido, em torno de três quilos para cada metro quadrado, e, também, composto orgânico ou húmus de minhoca.
Sininho, Lanterna-chinesa 3000058   Nome científico: Abutilon Megapotamicum
Nome popular: Sininho, Lanterna-chinesa
Família: Malvaceae
Origem: América do Sul, Brasil
Porte: 1.2 a 3.0 metros
Características: Deve ser cultivado sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado a intervalos regulares. Aprecia o clima ameno, podendo ser cultivado em regiões subtropicais, mediterrâneas ou tropicais de altitude. Para obter uma folhagem mais compacta e conduzir a forma da planta, podemos realizar podas anuais. Adubações semestrais estimulam intensas florações.
Orquídea Denfale 3000057   Nome científico: Dendrobium Phalaenopsis
Nome popular: Orquídea Denfale
Família: Orchidaceae
Origem: Austrália, Oceania
Porte: 0.1 a 0.6 metros
Características: Planta de popularização recente, o dendróbio-falenópsis é um híbrido entre duas espécies de orquídeas epífitas. Mas ao contrário do que o nome sugere, a hibridização não conta com a participação de orquídeas do gênero Phalenopsis, trata-se de um cruzamento entre diferentes espécies de Dendrobium. Seus pseudobulbos se assemelham aos dos dendróbios e suas flores são bem parecidas com as das falenópsis. A redução de regas após o período de crescimento é necessária para a boa formação da inflorescência. A água deve ser abundante quando a floração começa e diminuída outra vez até o aparecimento de novos brotos. É essencial usar a água em borrifador durante esses períodos de racionamento de água. Sua época de floração está entre setembro e novembro.
Mini Petunia 3000056   Nome científico: Petunia integrifolia
Nome popular: Mini Petunia
Família: Solenaceae
Origem: Argentina e Brasil
Porte: mede entre 15 a 30 centímetros
Características: As cores mais comuns de flores de Petúnia são azul, roxo, vermelho e amarelo intensos, com desenhos assimétricos de cor branca nas pétalas. Em alguns casos, é possível encontrar variações com flores de cores delicadas, como nos tons de branco e creme.
Begônia Holandesa 3000055   Nome científico: Begonia Elatior
Nome popular: Begônia Holandesa
Família: Begoniaceae
Origem: América Tropical
Porte: No máximo
Características: As Begônias para vasos são muito delicadas, plantas tropicais, preferem clima quente (entre 20º e 28º) e não gostam de ventos. As Begônias semperflorens de canteiros preferem um clima mais ameno e não toleram bem as chuvas de verão, pois ?melam?.
Rua Darci Pereira Pozzi, 900 - Chapéu do Sol - CEP 91787-780 - POA - RS - Fone: 55 51 3250.5076 / 3346.8030
Copyright (c) 2012 - Todos os direitos reservados: Rossatto Garden Center. Criação Amor.