Atendimento de segunda a sexta das 7:30h às 11:30h e das 13:15h às 18:00h, aos sábados das 7:30 às 18:00

Produtos Sapotizeiro 5000053   Nome científico: Manilkara zapota
Nome popular: Sapotizeiro
Família: Zapotaceae
Origem: América Central
Características: Suas características envolvem uma casca de cor que varia entre castanho e marrom. A casca é fina e internamente há uma polpa de cor amarelada. Seu tamanho varia entre 3 e 10 centímetros de comprimento. Sua forma pode ser arredondada, achatada ou esférica. Pode haver a presença de até 12 sementes. A planta pode alcançar até 20 metros de altura com tronco ramificado e com folhas que chegam a 15 centímetros de comprimento e 7 de largura. O sapotizeiro adulto produz seus frutos a partir de 5 anos ou mais de vida. Atualmente, o sapoti é estudado pela Embrapa no Brasil e sua produção e comércio são crescentes, possuindo assim grande potencial econômico.
Goiaba Maçã 5000052   Nome científico: Psidium guajava "maple"
Nome popular: Goiaba Maçã
Origem: Norte da Índia
Características: É uma espécie com poucas sementes, de polpa doce e crocante, muito saborosa. Frutos de coloração branca- creme. A coloração da casca também é muito linda, tendo grande potencial para plantios comerciais. Em plantios domésticos também é uma excelente opção, iniciando a frutificação geralmente após um ano do plantio. Com podas, é possível colher frutos o ano todo, pois a nova frutificação frutifica no geral, 7 meses após ser podada. Desta forma, plantando 4 goiabeiras e podando a cada 90 dias, será possível colher quase o ano todo.
Longan 5000051   Nome popular: Longan
Família: Sapindaceae
Origem: India
Características: Composta principalmente por carboidratos, gorduras, cálcio, proteínas, vitamina C, A, B1 e B2, o olho de dragão também é uma grande fonte de ferro e potássio ? por isso, é bastante utilizado na China para combater e prevenir a anemia em crianças. Aprecia clima subtropical, não tolera frio intenso. É necessário fazer poda de condução, cortando brotações laterais, ramos secos e mal formados. Aprecia solo úmido, mas não encharcado. Antes de atingir sua fase adulta a planta exige cuidados especiais e o solo deve ser mantido sempre úmido, mas na quantidade certa de umidade.
Jabuticaba Branca 5000050   Nome científico: Myrciaria aureana
Nome popular: Jabuticaba Branca
Origem: Mata Atlântica
Porte: De 3 a 5 metros de altura
Características: Sua fruta é rica em vitaminas do complexo B, vitamina C, ferro, fósforo e cálcio. Antigamente era utilizada no tratamento de asma e tuberculose, sendo a água obtida da fervura de suas folhas e frutos utilizada em gargarejos por seresteiros.
Bacupari 5000049   Nome científico: Garcinia gardneriana
Nome popular: Bacupari
Família: Clusiaceae
Origem: Floresta Amazônica
Porte: De 2 a 4 metros
Características: É de fácil adaptação aos mais variados tipos de solo e climas, e por isso pode ser cultivado em todo o território brasileiro. Frutifica nos meses de Dezembro a abril. Os frutos são adocicados, adstringentes e refrescantes, próprios para consumo in-natura. Até a casca pode ser consumida. A árvore é de belo efeito ornamental e não podem faltar no pomar de sua chácara ou fazenda e também estar presente em projetos de revegetação permanente.
Achachairu 5000048   Nome científico: Garcinia humilis
Nome popular: Achachairu
Família: Clusiaceae
Características: O consumo no Brasil ainda é muito pequeno, haja vista a pouca disponibilidade no mercado e o pouco conhecimento da população sobre ela. Porém algumas empresas apostam no sucesso desta fruta no mercado nacional e vêm investimento em desenvolvimento e produção. Os frutos têm massa média de 30g e são globoso-oblongos, semelhantes a uma nêspera, com diâmetros transversais e longitudinais de 35,8mm e 45,2mm respectivamente. A base peduncular do fruto é estreita e a calicinal mais larga. São amarelo-alaranjados, com casca grossa (3,53mm), lisa, firme e resistente; internamente a casca é creme-palha.
Laranja do céu tardia 5000047   Nome científico: Citrus sinensis 'Ceu Tardia'
Nome popular: Laranja do céu tardia
Família: Rutaceae
Características: É uma árvore perenifólia, espinescente, de 5 a 10 m de altura. Folhas subcoriáceas, glabras e lustrosas, aromáticas, de 7 a 15 cm de comprimento, com pecíolo variavelmente alado. Flores muito perfumadas, solitárias ou em agrupamentos de 2 a 6, formadas em agosto-setembro.
Castanha Portuguesa 5000046   Nome científico: Castanea Sativa
Nome popular: Castanha Portuguesa
Família: Fagaceae
Origem: Anatólia, Bálcãs, Cáucaso, Europa
Porte: De 20 a 30 metros
Características: Deve ser cultivada sob sol pleno, e prefere solos arenosos e profundos. Tolerante a solos ácidos e a seca, quando bem estabelecida. Árvore decídua, de clima mediterrâneo, adapta-se a uma ampla faixa climática, de temperados a tropicais. Multiplica-se por sementes plantadas logo após a colheita.
Tomate Cereja 5000044   Nome científico: Solanum Lycopersicum
Nome popular: Tomate Cereja
Família: Solanaceae
Origem: Israel, Andes, na América Central e no México
Porte: Em torno de 2 metros
Características: Prepare-se para plantar os tomates cereja colocando adubo ou esterco no solo. Plante-os em filas distantes de 81 cm, com 61 cm entre as mudas se você desejar coloca-los nas treliças. Dê a eles alguns cm de espaço a mais, se você pretender deixar os arbustos esparramarem. Regue o tomate cereja em dias alternados. Tente manter a água longe das folhas, porque os tomates são suscetíveis a doenças se expostos à muita água. Borrife fertilizante líquido em semanas alternadas.
Bergamota ou tangerina 5000042   Nome científico: Citrus nobilis
Nome popular: Bergamota ou tangerina
Família: Rutaceae
Origem: Ásia
Porte: Em média de 3 metros de altura
Características: Escolha um local para plantar a sua árvore. Um local com calor e sol é ideal. Abrigos são úteis para estações muito frias. Escolha um local com boa drenagem, solo e evite colocar a árvore no meio do quintal. Um muro, cerca ou pátio próximo pode prover abrigo e um calor extra. Escolha a sua bergamoteira e cave um buraco grande. Você deve cavar um buraco de pelo menos 1m de profundidade e 1m de diâmetro, encha o buraco parcialmente com terra de boa drenagem. Remova a muda do vaso e retire qualquer amarra das raízes. Coloque uma camada de serragem sobre toda a área das raízes da árvore. Regue a árvore pelo menos uma vez por semana até que ela fique fixa, a não ser que chova o suficiente. Use um fertilizante adequado de três ou quatro vezes por ano.
Maçã 5000041   Nome científico: Malus domestica Borkh.
Nome popular: Maçã
Família: Rosaceae
Origem: Oriente Médio e Leste Asiático.
Porte: A árvore chega a 10 metros de altura.
Características: Para início do pomar é imprescindível o plantio de mudas enxertadas e sadias, em porta-enxertos clonais ou de sementes da própria macieira. Por se tratar de cultura perene e de polinização cruzada, deve-se consorciar no plantio variedades interpolinizantes.
A produtividade média da maçã no Brasil varia de 15 a 30 t/ha de frutos em pomares adultos e conduzidos dentro das modernas técnicas. Essa variação ocorre em função do espaçamento, cultivar e manejo.
Romã 5000040   Nome científico: Punica granatum
Nome popular: Romã
Família: Lythraceae
Origem: Grécia, Síria e Chipre
Porte: atinge de 2 a 5 m
Características: Solo: Rico em matéria orgânica. Quando plantada em vaso, a mistura de solo recomendada é de 1 parte de terra comum para jardim, 1 parte de terra vegetal, e, 2 partes de composto orgânico. Manutenção: Caso se pretenda obter uma arvore, todos os despontares na base do tronco principal devem ser arrancados. Caso se pretenda um arbusto, devem ser as pontas cortadas para que a romanzeira se ramifique bastante e se consiga dar a forma desejada. Iluminação: Pleno sol. Precisando de no mínimo, 4 horas de sol direto, todos os dias. Rega: Como a maioria das plantas frutíferas, a Romã é uma planta com consumo elevado de água, mas com a particularidade de não gostar de solos muito encharcados.
Lichia 5000039   Nome científico: Litchi chinensis Sonn.
Nome popular: Lichia
Família: Sapindaceae
Origem: Ásia (China)
Porte: Com altura de 10 a 15 m
Características: As mudas de lichieria devem ser obtidas em viveiros fiscalizados. A propagação deve ser vegetativa (alporquia, enxertia, garfagem ou outro método), reduzindo o prazo para o início do ciclo produtivo das plantas. A propagação por sementes é utilizada principalmente no melhoramento genético e na produção de portaenxertos. No entanto, é dificultada pela longevidade das sementes que, mal armazenadas, perdem a viabilidade em 24 horas após a extração do fruto. Conservadas úmidas e em baixa temperatura (10ºC a 15ºC), as sementes podem manter a viabilidade por até oito semanas.
A lichia é bastante exigente com relação ao clima, desenvolve-se bem, mas não produz satisfatoriamente em regiões tropicais, adaptando-se melhor em regiões onde o clima é frio e seco antes do florescimento e, no resto do ano quente e úmido. A precipitação ideal encontra-se entre 1.250 e 1.700 mm anuais. A exigência em água é maior nas plantas novas e naquelas em produção.
A floração ocorre entre os meses de junho e julho. A colheita ocorre em um período muito curto, de meados de dezembro a início de janeiro. A produtividade normal da lichieira é de 30 a 45 kg/planta. Nas condições brasileiras e em cultivos tecnificados são observadas produtividades de 200 a 300 kg/planta por ano.
Acerola 5000038   Nome científico: Malpighia punicifolia Linn.
Nome popular: Acerola
Família: Malpighiaceae
Origem: Antilhas, América Central e norte da América do Sul.
Porte: Até uns 3 metros de altura
Características: O plantio consiste em tirar o saco plástico que envolve o torrão deixando sua face superior no mesmo nível ou um pouco acima do solo. Construir uma bacia de irrigação ao redor da muda e regar com, no mínimo, 40 litros de água.
Amarrar cada muda a um tutor com uma fita que tenha área de contato larga, para evitar o estrangulamento da planta.
Quando a planta atingir uma altura de 60 a 70 cm, executar a poda de formação, com intuito de formar uma planta com copa baixa, no formato de uma taça.
Essa poda consiste em extrair parte da porção terminal do ramo principal a uma altura de 50 cm do solo. Da brotação que ocorrer, escolhem-se 3 ou 4 ramos, dispostos radialmente, para formar a copa.
Depois de 70 a 80 dias, extrair toda a brotação abaixo de 40 cm de altura e o excesso de ramos surgidos acima desse ponto, deixando 3 a 4 pernadas nos 10 cm terminais do tronco único.
A planta começa a produzir com dois ou três anos após o plantio. Do florescimento à colheita, passam-se 20 a 25 dias. Em regiões quentes, o período de produção dura 8 meses, e em locais de clima ameno esse tempo é reduzido para 4 a 6 meses.
Guabijú 5000037   Nome científico: Myrcianthes Pungeng
Nome popular: Guabijú
Família: Myrtaceae
Origem: Brasil - Florestas de altitude do Sudeste e Sul
Porte: Árvore com até 20 m de altura com tronco tortuoso e nodoso
Características: Árvore delicada e de aparência rígida, uma das principais características do guabiju são suas folhas: pequenas, duras, de coloração verde profunda, as folhinhas do guabiju terminam por finos, curtos e pontiagudos espinhos, parecidos com pequenas pontas de agulha.
O guabiju demora a frutificar, o que ocorre pela primeira vez apenas 10 anos após o plantio. Quando novo, tem frutificação bastante farta, embora esta se manifeste apenas de 2 em 2 anos, aproximadamente.
Pitanga 5000035   Nome científico: Eugenia Uniflora
Nome popular: Pitanga
Família: Myrtaceae
Origem: Brasil, Argentina e do Uruguai
Porte: De 2m a 9m de altura.
Características: A pitangueira frutifica de outubro a janeiro, e existe uma grande variação na coloração da fruta, indo do laranja, passando pelo vermelho, e chegando ao roxo, ou quase preto. Tem ação calmante, antiinflamatória, diurética, combate a obesidade e também possui atividade antioxidante. A planta é cultivada tradicionalmente em quintais domésticos. O seu plantio é feito simplesmente pela colocação de um caroço de pitanga no solo ou pelo transplante de uma muda até o local adequado ou por meio do próprio fruto. Dá-se bem em quase todo tipo de solo, incluindo os terrenos arenosos junto às praias e terrenos secos.
Carambola 5000033   Nome científico: Averrhoa Carambola
Nome popular: Carambola
Família: Oxalidaceae
Origem: Índia
Porte: Conseguem alcançar até 15 metros de altura aos 25 anos de idade.
Características: A caramboleira é uma árvore de pequeno porte, de cor verde ou amarela e sabor agridoce, é bastante usada na ornamentação de quintais e jardins. Foi introduzida no Brasil em 1817, no Estado de Pernambuco.
O cultivo da carambola é indicado em regiões de clima quente e úmido. Em torno de 4 anos, a árvore já começa a dar os primeiros frutos.
A fruta possui um formato semelhante ao de uma estrela, por isso também é conhecida como star fruit. A carambola possui cinco gomos e uma polpa de consistência rígida. A fruta é encontrada na grande maioria das vezes, em pomares pequenos, quintais e sítios, seu cultivo não é feito em escala.
A carambola é uma fonte rica em sais minerais e vitaminas A, B1, B2, C, além de fósforo e potássio.
Kiwi 5000032   Nome científico: Actinidia chinensis
Nome popular: Kiwi
Família: Actinidiaceae
Origem: Vale do Rio Yang-Tze na China
Porte: Pode alcançar até 9 metros de altura, trepadeira
Características: O solo deve ter baixo teor de argila e ser bem drenado. Adubação: o Kiwi responde bem à adubação orgânica, esterco de gado, aves, etc. O espaçamento ideal é de 5 metros entre fileiras e 4 metros entre plantas. A época ideal para o plantio é julho ou agosto a outubro. Em plantações "de lazer", deve-semolhar as plantas uma vez por semana. O Kiwi é uma planta dióica, para ter fruto é necessário ter macho e fêmea. O Kiwi é uma planta de grande longevidade, que pode viver por mais de 50 anos. É uma espécie muito produtiva, podendo chegar a 1000 frutos por planta. Para obter frutos maiores e de melhor qualidade, recomenda-se fazer o raleio de frutas no pé. O Kiwi quando cortado e colocado em contato com carne, tem a propriedade de torná-la mais macia, graças à actinidina, enzima presente no fruto.
Videira 5000031   Nome científico: Vitis Vinifera
Nome popular: Videira
Família: Vitacea
Origem: Europa
Porte: Indeterminado
Características: A videira, vinha ou parreira é uma trepadeira da família das vitáceas, com tronco retorcido, ramos flexíveis, folhas grandes e repartidas em cinco lóbulos pontiagudos, flores esverdeadas em ramos, e cujo fruto é a uva. Originária da Ásia, a videira é cultivada em todas as regiões de clima temperado. Ciclo da videira: período de repouso, período de crescimento e período de elaboração. Necessita de podas.
Amora 5000030   Nome científico: Rubus ursinus, Rubus argutus, Rubus fruticosus
Nome popular: Amora
Família: Rosaceae
Origem: China e Japão
Porte: Até 2 metros de altura
Características: Necessita de sistema de suporte para as ramificações da amoreira-preta. A amora é indicada para a cultivação em pequenas propriedades, principalmente em regiões mais frias, como no sul do Brasil. É recomendável fazer o plantio nos meses mais frios do ano. No entanto, a planta pode ser encontrada de forma subespontânea em várias regiões do Brasil com clima um pouco mais quente. A colheita da fruta vai de setembro a novembro. Temos variedades com espinhos e sem espinhos.
Rua Darci Pereira Pozzi, 900 - Chapéu do Sol - CEP 91787-780 - POA - RS - Fone: 55 51 3250.5076 / 3346.8030
Copyright (c) 2012 - Todos os direitos reservados: Rossatto Garden Center. Criação Amor.